AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA CARNE BOVINA - QUALIDADE E O CONSUMIDOR - CARACTERÍSTICAS DE QUALIDADE - MATRIZ DA QUALIDADE - RESUMO E CONCLUSÕES - Trabalho Escolar - Pesquisa.


AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA CARNE BOVINA

I. INTRODUÇÃO
Costuma-se avaliar a qualidade dos alimentos com base em características
definidas a partir do conhecimento técnico disponível, prestando-se pouca atenção ao que
os consumidores gostariam de encontrar nos produtos. No caso da carne bovina, ao lado
de medidas físicas, químicas e microbiológicas escolhidas, procura-se juntar informações
obtidas em análises sensoriais, destinadas a detectar diferenças entre amostras, e a
comparar escores atribuídos por equipes de provadores treinados, que atuam como
“instrumentos de medida”, sempre com base em escalas construídas por especialistas.
Pela complexidade dos experimentos, raramente são realizadas pesquisas com
consumidores.
Felizmente, os pesquisadores estão, na maior parte do tempo, preocupados com a
qualidade definida pela cor, maciez, sabor e suculência, que são características
determinantes na decisão de comprar carne. Eles sabem que o consumidor escolhe o
corte cárneo baseado na experiência anterior com o modo de preparar e com o grau de
satisfação na refeição, sendo influenciado pela aparência, ou seja, pela cor da carne,
quantidade e distribuição da gordura, firmeza e, no caso do produto embalado, pela
quantidade de líquido livre. Para este consumidor, a decisão de voltar a comprar no
mesmo ponto de venda, ou do mesmo tipo de carne, vai depender de terem sido
satisfeitas suas expectativas iniciais. Como decorrência, os estudos são planejados para
avaliação das propriedades da carne fresca, como pH, capacidade de retenção de água,
cor, firmeza e textura (visual), e das características da carne pronta para ser consumida,
como maciez, sabor e suculência.
Atualmente, uma metodologia de desenvolvimento de produtos criada por AKAO
(1972), no Japão, começa a despertar interesse com vistas à sua aplicação na busca de
soluções para que a carne bovina não perca competitividade em relação a outros
alimentos protéicos (HOFMEISTER, 1991; DALEN, 1996).
Na sequência será apresentado um exemplo de aplicação desta metodologia,
denominada  QFD – Quality Function Deployment (Desdobramento da FunçãoQualidade), com o objetivo de analisar a qualidade do contrafilé direcionado a um
mercado exigente. Este estudo é uma simulação, mas permite demonstrar como se faz
para determinar o valor relativo das características de qualidade que devem ser avaliadas.
Antes, porém, é interessante definir alguns termos usualmente empregados quando se
trabalha com a metodologia de QFD.
II. A QUALIDADE E O CONSUMIDOR
Nas especificações de qualidade, levam-se em conta muitos parâmetros
estabelecidos a partir de critérios técnicos - como no caso das questões higiênicosanitárias na fazenda, na indústria e no comércio - priorizando a produtividade e a saúde
da população, porém, sem “ouvir a voz” do consumidor. Ou, em outras palavras, sem
tentar descobrir aquele “algo mais” ( qualidade atrativa ) que deveria estar contido no
produto para conquistar a sua preferência .
As especificações de processos e produtos são importantes, mas elas são da
responsabilidade dos governos e, muito mais, do setor. Há muito que não deveriam fazer
parte das preocupações de quem vai às compras podendo decidir como gastar seu
dinheiro entre as inúmeras alternativas que lhe são ofertadas.  É o que se denomina
qualidade óbvia, cuja ausência deixa insatisfeito o consumidor, porém a presença não é
mais que obrigação do fornecedor.
Note-se que o avanço tecnológico na indústria de alimentos e em tantos outros
setores de bens de consumo, deve-se, em grande parte, ao vertiginoso aumento nas
vendas em supermercados, que torna obrigatório o desenvolvimento de produtos de
melhor  qualidade percebida , que alguns preferem chamar de  qualidade exigida
(SARANTÓPOULOS & GUEDES, 1995).
A qualidade exigida não pode ser definida tecnicamente sem antes inquirir do
próprio consumidor. Ela depende das pessoas, do produto e da situação, evoluindo com
as mudanças pessoais (experiência com o produto, idade, educação) e sociais (novos
valores disseminados pela mídia) com o passar do tempo (ISSANCHOU, 1996). A esse
respeito é interessante observar a evolução e o crescimento do mercado de carne de
frango, com e sem osso, temperada, empanada e em diferentes tipos de embalagem.
Neste mercado, a variedade de opções e a praticidade são atributos de qualidade atrativa
que vão conquistando a preferência do consumidor e deixando para trás os produtos
menos versáteis, que exigem habilidades culinárias e tempo para preparar.
III. CARACTERÍSTICAS DE QUALIDADE
O maior desafio de marketing, para tornar competitiva a carne, é responder a duas
perguntas: “quem é o consumidor que se pretende conquistar”? E  “o que quer esse
consumidor”?
Imagine-se, agora, que o produto seja a carne de contrafilé e o mercado-alvo  seja
o de indivíduos adultos de alta escolaridade, que, pelo seu maior poder aquisitivo e
facilidade para viajar, já tiveram a oportunidade de comer em bons restaurantes,
tornando-se mais exigentes do que o consumidor médio.
Feita a segmentação de mercado e a definição do público-alvo, o próximo passo
será o planejamento de uma pesquisa de opinião, destinada a saber o que quer esse
consumidor, e construir uma tabela de  desdobramento da qualidade , onde as informações
originais são convertidas em itens de qualidade exigida, usando expressões simples, com
um significado inequívoco, conforme metodologia detalhada por CHENG et al. (1995).
Ressalte-se que a empresa interessada deve participar ativamente da pesquisa de
opinião, através de sua equipe de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), que é quem
realmente conhece as nuanças do produto e pode interpretar desejos não verbalizados
pelos entrevistados (SARANTÓPOULOS, com. pessoal).
Depois, vai-se construir a Matriz da Qualidade, na qual procura-se traduzir as
informações do mercado na linguagem da empresa, ou melhor, naquilo que se pode
medir tecnicamente (CHENG, 1995), como a cor e a textura (maciez) da carne .
Para fins de exemplificação, simulou-se uma pesquisa com algumas pessoas
dessa faixa nobre de mercado, sobre o que esperam da carne de contrafilé. Para
simplificar o trabalho, deixou-se de lado alguns dados importantes, tais como o aspecto
de frescor, a quantidade de suco liberado pela carne no interior da embalagem e outros. É
importante salientar que se trata de um simples exemplo didático no qual utilizou-se da
metodologia de QFD para demonstrar como se estima a importância relativa de cada
característica de qualidade.
IV. MATRIZ DA QUALIDADE
Na matriz da qualidade (Tabela 2), faz-se o cruzamento das informações obtidas
dos consumidores (qualidade exigida - QE), dispostas na coluna da esquerda, com os
parâmetros técnicos de medida e avaliação sensorial (características de qualidade - CQ),
dispostos na horizontal, no topo. Nas interseções representa-se com um de três símbolos
o grau de associação - com base nos conhecimentos técnicos da equipe -  entre um item
de QE e uma CQ, .
Em seguida, o grau de importância para o consumidor  vai sendo multiplicado pelo
valor do símbolo, fazendo-se a totalização, por coluna, na 4
a linha de baixo para cima. Na seqüência, calcula-se a importância relativa de cada CQ (¹).
A partir dos resultados da Tabela 2, sabe-se quais as características de qualidade
que devem ser medidas prioritariamente no produto, por representarem melhor a vontade
do consumidor (²). Neste exemplo, vê-se que as mais importantes são: a força de
cisalhamento, a suculência e o sabor da carne assada, e o valor L (luminosidade) da cor,
espessura de gordura e marmorização da carne fresca (após o resfriamento da carcaça).
Em seguida, analisa-se o produto (contrafilé) de um ou mais concorrentes para
estabelecer as metas para a  qualidade projetada do produto da empresa.
V. RESUMO E CONCLUSÕES
Procurou-se demonstrar que na avaliação da qualidade da carne bovina é muito
importante estudar as características de qualidade exigida pelo consumidor,
principalmente aquelas que possam representar um benefício que não estaria sendo
oferecido até então. É o caso, por exemplo, de uma carne de contrafilé que seja macia
(força de cisalhamento Warner-Bratzler <5 ao="" brasileiros="" como="" e="" kgf="" os="" p="" suculenta.="">contrário dos argentinos, não estão acostumados com contrafilés macios e suculentos,
por algum tempo serão atraídos pela novidade e esta será, portanto, uma qualidade
atrativa. Com o passar do tempo, muitos concorrentes irão oferecer a mesma coisa e
aquilo que era uma vantagem se tornará uma qualidade óbvia.
Utilizou-se o contrafilé como exemplo porque, em geral, quando a qualidade deste
corte é boa, a dos demais cortes da mesma carcaça também será.
Demonstrou-se também, com um exemplo teórico de Matriz da Qualidade, como se
faz para determinar a importância relativa das características de qualidade, isto é, dentre
as avaliadas, quais são as mais relevantes, que devem ser melhoradas objetivando deixar
para trás os concorrentes na disputa por mercados mais exigentes.
Conclui-se, ainda que parcial e provisoriamente, que as características de
qualidade a serem avaliadas são: a)  na carcaça quente ou fria – espessura da gordura de
cobertura sobre o contrafilé; b)  na carcaça fria ou no contrafilé desossado -  valor L
(luminosidade) da cor e gordura intramuscular (“marbling” ou marmorização), e c)  na
carne assada – medida instrumental de força de cisalhamento e  análise sensorial de
sabor e suculência. Pode-se analisar a maciez sensorial em lugar da força de
cisalhamento, ou ambas.
Contudo, é importante assinalar que há outras características importantes para o
consumidor que não foram consideradas neste trabalho, tais como o tipo de embalagem
para venda ao varejo, a quantidade de líquido livre no interior da embalagem, as
alterações de cor ocasionadas pelo tempo de exposição ou pelo contato com o filme
plástico que recobre a carne, a praticidade e a facilidade de preparo de refeicões a partir
do produto adquirido.
V. BIBLIOGRAFIA
1. AKAO, Y. New Product Development and Quality Assurance: System of Quality
Function Deployment.  Standardization and Quality Control, Tokyo, 25: 7-14. 1972.
2. CHENG, L.C. et al. QFD – Planejamento da Qualidade. FCO/UFMG, Belo HorizonteMG, 262p. 1995.
3. DALEN, G.A. Assuring Eating Quality of  Meat.  Meat Sci., UK, 43 S (Suplemento): 21-
33. 1996.
4. HOFMEISTER, K.R. Quality Function Deployment: Market Success through CustomerDriven Products. In: GRAF, E. & SAGUY, I.S. (eds).  Food Product Development –
From Concept to the Marketplace. Chapman & Hall, New York, cap. 9, p. 189-210.
1991.
5. ISSANCHOU, S. Consumer Expectations and Perceptions of  Meat and Meat Product
Quality. Meat Sci. UK, S (Suplemento): 5-19. 1996.
6. SARANTÓPOULOS, I.A. & GUEDES, L.B.R.  Implantação de QFD em uma Indústria
de Alimentos – Sadia Concórdia S.A. In: CHENG, L.C. et al. 1995.  QFD –
Planejamento da Qualidade. FCO/ UFMG, Belo Horizonte-MG, 211-34. 1995.

Nenhum comentário:

Postar um comentário





Palavras mais buscadas no site:

Trabalhos Escolares Trabalho Escolar Biologia Português Matéria Português Rede Social Dicas de Português História Língua Portuguesa ZOOLOGIA Facebook Memes Trolls Geografia Memes Zuando muito no face Trollando Memes para facebook Escrevendo em redes sociais Dúvidas de Português Educação Física Concursos Públicos Gramática Esportes Concursos Dicas de Concursos Públicos Biografia Química O que é a língua portuguesa Física Questões para Concursos Geologia Informática Questões Enfermagem Geofísica Enem Cartaz Cartazes Manifestações TI Tecnologia Blocos Econômicos e Organizações Internacionais Arte Artes GENÉTICA Sociologia PROUNI SISU Concordância Biografias Dicas Diversos ECOLOGIA Faculdade Universidade Vestibular Matemática Simulado Atualidades Civilizações Protesto CAFTA Seu Trabalho Ortografia QUESTÕES DE Português com Gabarito Literatura Crase Computadores analógicos Curiosidades Esqui Aquático Gramática. História da computação História do hardware Redação Índio EVOLUÇÃO QUESTÕES de Matemática com Gabarito Indígena Resumo Uso da Crase - quando há (ou não) crase Geometria Analítica Livro Plural RACIOCÍNIO LÓGICO Artigos 196 a 200 da Constituição Federal Grafia Hífen Lei n° 8.142 Lei nº 8.080 Organização e Funcionamento do SUS QUESTÕES DE RACIOCÍNIO LÓGICO Com Gabarito Sistema Único de Saúde Autores Geometria Homônimos Parônimos Tecnologia da Informação Uso da vírgula Construções Geométricas Educação Resumos Vírgula Anita Garibaldi Equação da reta Questão de Concurso Reciclagem Sinônimos Verbos Vocativo Aleijadinho Aluísio Azevedo Aposto Avaliação Carta Comunidade Andina Dicionário Emprego Energia Estudar Fast Estudo Analítico do Ponto Estudo da Reta Exercícios Fernando Pessoa Formas variadas de linguagem Futebol Gauchês Ginástica História da Idade Média Idade Média Identidade Imagens para Facebook Inclinação da reta Lei Lei federal Nitrogênio Ortográfico Pedagogia Polo aquático Precisão e adequação vocabular Pronomes Psicologia Publicidade Reforma ortográfica Saúde Significados Tênis de Mesa Uso de por que Verbo Vocabulário por quê porque e porquê Ângulo de inclinação da reta 99 : Salário baixo e injustiça A Estrutura Curricular da Disciplina De Educação Física A Grande Influência da Lua em Nossas Vidas. A guerra civil gaúcha A participação do México no Nafta ACENTUAÇÃO ACENTUAÇÃO GRÁFICA ANARQUIA ASEAN Abandono Acentos Adolf Hitler Advérbios Afonso Pena AlCA x ALBA Alca Alfabeto Alfred Wegener Anatomia comparada Apec Apostila Apostila Concurso Professor Apostila PEB ll Arte Barroca Arte Rupestre Artesanato Arthur Aguiar Artigos Assíria Asteca Astrolábio Atletismo Até onde a Lua influencia a nossa vida? Automação Babilônia Badminton Balonismo Barack Obama Barão de Mauá Barão do Rio Branco Basquetebol Beisebol Benito Mussolini Benjamin Constant Bilhete Biodiversidade Biogeografia Biologia molecular Boxe Brasil - Eleições 2006 CEI – Comunidade dos Estados Independentes CLIMA Cabo de Guerra Caminhada Cana-de-açúcar Capoeira Caratê Caricom Carlos Chagas Carlos Drummond de Andrade Carta Argumentativa Carta comercial Carta de Reclamação Carta de informação Carta de solicitação Carta do leitor Cartaginês Cartão-postal Carvão mineral Casal Castro Alves Celta Charles Chaplin Chico Buarque de Holanda Chinesa - Civilizações Ciclismo Circunferência Clarice Lispector Classificação dos blocos econômicos Claude Debussy Comemoração em outros Países Comparativo entre C e java Comunidade Britânica Comunidade Sul-Americana de Nações Conceito Conceitos Concretismo Consciência Convite Copa 2014 Coreia do Norte e a Coreia do Sul Corrida Crise na Tunísia Cruzadas Crítica DEFENSIVOS AGRÍCOLAS DENSIDADE DESENHO DESMATAMENTO DESTAQUES NO MUNDO DOMESTICAÇÃO Dança Data Comemorativa Data Mining Data Warehouse Decreto nº 7.508 Descrição Desflorestamento Desrespeito com o professor Dia das Mães Dia do Descobrimento do Brasil - 22 de Abril Dicionário Web Direito Administrativo Dom Pedro I Duque de Caxias E-mail ESPÉCIES EM EXTINÇÃO EXPRESSIONISMO Educação no Brasil Educação nota 10 Egípcia Eleição de Dilma Rousseff Energia Solar Enunciação e contexto Escalada Escultura Esgrima Esporte Estrangeirismo Estrangeirismos Estudar é para os fortes Estudo da Circunferência Euclides Evolução da Tecnologia da Informação Exemplos de Textos do Cotidiano Expedições medievais realizadas em nome de Deus FIES FOTOSSÍNTESE Falsos Sinônimos Falta de Vagas Fauna Fenícia Feriados Feudalismo Figuras de estilo Filogenia Filogeografia Filosofia Fisiologia Flora Fly Fishing Formação de blocos econômicos Força de Floriano Fracasso da Alca Francesa Frases em imagens Frescobol Futebol americano Futurismo Fórmula 1 G 20 Financeiro GEO1M1 GEO2M2 Geometria Euclidiana Germânica Geógrafo Geólogo Ginástica Artística Ginástica de trampolim Globalização Glossário Web Golfe Golfo Pérsico Gonçalves Dias Governo x Educação Graciliano Ramos Grafite Grega Grego Grigori Perelman Guerra Guerra Civil Americana Guerra de Secessão Guia Prático Gêneros textuais argumentativos Gêneros textuais do cotidiano Gêneros textuais do universo jornalístico HISTiatÓRIA DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA DA ARTE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃ Heitor Villa-Lobos Hidroginástica História do Futebol História em quadrinhos Homero Homo sapiens Homônimas e Parônimas Hóquei IMPRESSIONISMO Idade Antiga Idade Contemporânea Idade Moderna Importância da mulher na sociedade Inca Indiana Indigena Individualismo Industrialização da China Industrialização e Urbanização Indígena no Brasil Indígenas Inglesa Inglês Ingresso Tardio Inscrições Integração da Venezuela ao Mercosul James Watt Japonesa Jet Ski Jiu Jitsu Jogo de Queimada Jogos Olímpicos Pequim 2008 John Fitzgerald Kennedy José de Alencar Judô Karl Marx Kung-Fu Lima Barreto Linguagem e comunicação Localização do Golfo Pérsico Luiz Gonzaga MEIO AMBIENTE MIGRAÇÕES ANIMAIS MMA Mixed Martial Arts Madeira Mahatma Gandhi Maia Mamíferos Manguezal Medicina Memórias de Computadores Mercosul Mercosul: Países Integrantes Mercúrio (planeta) Mergulho Mesóclise Minas Gerais Missão Científica Espacial Brasileira Mix Útil Modelos de Processadores Modismos Monarquia Monteiro Lobato Moralismo Morfologia Mundo Summary Musculação Médicos Nado Sincronizado Natação Neologismo Neologismos O milênio da mulher O que é Educação Física? OEA OLAP OMC ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SUS - LEI 8080/90 E 8142/90 ORIGAMI Op-art Opep Opinião Os livros são um oceano infinito de conhecimento PEB ll POLUIÇÃO Paleontologia Parkour Pedro Bandeira Pedro Álvares Cabral Pensamentos Persa Perímetros Pesquisa Pessoa Piaget Pintura Placa tectônica Planejamento e Gerência de Projeto de Software Planície Pleonasmo Pontuação Pop Art Portugal Povos indígenas Presidentes da República do Brasil Primavera Árabe Princesa Isabel Professor Professor trollando aluno que não estuda Pronomes átonos Prosa Naturalista Prova Pré-História Próclise QUALIDADE DE VIDA QUESTÕES DE Português Acentuação Com Gabarito QUESTÕES DE Português Crase com Gabarito Questão do Mensalão Questões de Português Ortografia com Gabarito R$9 RENASCIMENTO RESPONSABILIDADE SOCIAL ROCOCÓ Racismo Ranking Mundial de Educação Rapa-Nui Rebelião Popular Rede municipal de saúde Redundância Relacionamento Remo Repetência Reservas indígenas no Brasil Respeite o Professor Respostas Resumo de Livro Revolta da Armada Revolta da Vacina Revolta na Líbia Revolta no Egito Revolução Federalista Revolução Francesa Robô Romana Romero Britto Russa SADC Saltos Ornamentais Semânticas Seriados Sintaxe Sismo Sistema Operacional Sistemática Skate Squash Subjuntivo Suméria Surfe Tabelas Cruzadas e DrillDown Taekwondo Teatro Terremoto Texto instrucional (injuntivo) The Vampire Diaries Tigres Asiáticos Tipos de Frase Triathlon Turca Turfe Tênis Unasul União Europeia União Européia Urbanização da China Urânio Uso do Hífen (Novo Acordo Ortográfico) Verbo Auxiliar Verbos Abundantes Verbos Anômalos Verbos Defectivos Verbos Regulares e Irregulares Verbos Transitivos Verbos de Ligação Verdades e mentiras sobre o conflito das Coreias Vida de professo Viking Voleibol Voleibol de Praia Volumes Water Bike Xadrez Xenofobia Xilogravura Zuando na escola 2013 dúvida léxico regionalismo saúde no Brasil tempo verbal toma dicionário na cara variante linguística Árabe - Civilizações Áreas Ângulos Ênclise