Taxonomia - Definições - Aplicação - Descrições taxonômicas - Classificação dos organismos - Filogenética - Taxonomia numérica - História da taxonomia - Primeiros taxonomistas - De Aristóteles até Plínio - Taxonomistas Pré-Linnaeus - A era Linnaeus - Nomes válidos x nomes aceitos - Taxonomias não biológicas



Taxonomia

Taxonomia (do grego antigo τάξις táxis, arranjo e nomia νομία, método) 1 é a disciplina acadêmica que define os grupos de organismos biológicos, com base em características comuns e dá nomes a esses grupos. Para cada grupo é dado uma nota e os grupos podem ser agregados para formar um super grupo de maior pontuação, criando uma classificação hierárquica. 2 3 Os grupos criados por este processo são referidos como taxa (singular táxon ). Um exemplo da classificação moderna foi publicado em 2009 pelo Angiosperm Phylogeny Group para todas as famílias de plantas com flores vivas (Sistema APG III).4


Definições

A definição exata de taxonomia varia ligeiramente de fonte para fonte, mas o núcleo da disciplina permanece: a concepção, nomeação e classificação dos grupos de organismos. Nas referências, três definições são encontradas nos livros didáticos. Veja, abaixo:

Teoria e prática de agrupamento de indivíduos em espécies, organizando as espécies em grupos maiores e dando os nomes aos grupos, produzindo assim uma classificação; 2
Um campo da ciência (e principal componente da sistemática) que engloba identificação, descrição, nomenclatura e classificação;3
A ciência da classificação, em biologia, o arranjo dos organismos em uma classificação. 5
Aplicação

Taxonomia é uma sub-disciplina de biologia e geralmente é praticada por biólogos conhecidos como taxonomistas, embora naturalistas entusiastas freqüentemente se envolvem em publicações de novos taxa. O trabalho realizado pelos taxonomistas é crucial para a compreensão da biologia em geral. Dois campos de biologia aplicada em que o trabalho taxonômico é de fundamental importância é o estudo da biodiversidade e conservação. 6 Sem uma taxonomia dos organismos em uma determinada área, estimar a quantidade da diversidade presente não é realista. Como a conservação tornou-se cada vez mais politicamente importante, o trabalho taxonômico impacta não só na comunidade científica, mas na sociedade como um todo. 7

Descrições taxonômicas


Espécie-tipo para a Nepenthes smilesii, uma típica planta carnívora.
O taxon e definido por sua descrição. Não existem regras fixas que regem a definição dos taxa, mas a nomeação e publicação de novos taxa é regido por um conjunto de regras. Em zoologia, a nomenclatura mais comumente utilizados (superfamília a subespécie), é regulada pelo Código Internacional de Nomenclatura Zoológica. Nas áreas de botânica, Ficologia e micologia, a nomeação dos taxa é regido pelo Código Internacional de Nomenclatura Botânica.

A descrição inicial de um táxon envolve cinco requisitos principais: 8

O táxon deve receber um nome com base nas 26 letras do alfabeto latino (um binômio das novas espécies ou uninomial para outros patentes).
O nome deve ser único (não pode ter um homônimo).
A descrição deve basear-se em pelo menos um Espécie-tipo.
Ela deve incluir referências e atributos que tornem o táxon único.
Estes quatro primeiros requisitos devem ser publicados em uma obra em que haja um grande numero de cópias idênticas, como um registro científico permanente.
Muitas vezes também é incluído mais informações, como a distribuição geográfica do táxon, notas ecológicas, química, comportamento, etc... Como os pesquisadores chegam à vários taxa; dependendo dos dados disponíveis e os recursos, os métodos variam de simples comparações quantitativa ou qualitativa de características marcantes, análises com computadores das grandes quantidades de dados de seqüência de DNA.

Classificação dos organismos

A classificação biológica é um passo crítico no processo taxonômico, pois informa hipoteticamente quais são os parentes do taxon. Embora a disciplina de taxonomia em si não lida com as investigações de como os taxa estão relacionados uns com os outros, ela serve para comunicar estes resultados. Para isso, ela classifica em ordens taxonômicas (em ordem do maior para o menor): Domínio, Reino, Filo, Classe, Ordem, Família, Gênero e Espécie.

Filogenética

O sistema de classificação biológica permanece praticamente inalterado em sua estrutura desde 1753. Mas, a maneira como as relações entre estes táxons são investigadas mudou drasticamente nas últimas décadas. Agora, é comum os biólogos elaborarem a classificação com base nos resultados de análises filogenéticas usando dados de seqüência de DNA. Como resultado, a filogenética tem impacto direto sobre as classificações taxonômicas, mesmo que não seja parte da taxonomia. Atualmente a filogenética passou a ser considerada fundamental para a moderna sistemática, embora sua utilização para a descrição de novos táxons e para o posicionamento dentro de um esquema de classificação existente não seja obrigatória. Desde seu advento, os taxonomistas estão empenhados em revisar as propostas de classificações pré existentes de modo a atender a filogenia. Frequentemente relações insuspeitas entre seres ou grupos de seres são descobertas conduzindo a grandes revisões nas classificações. Tem sido muito útil também para esclarecer o mais correto posicionamento de espécies e gêneros cuja morfologia tornava difícil uma decisão sobre sua melhor classificação.

Taxonomia numérica

Em taxonomia numérica, a taxonomia é exclusivamente com base na análise de Clustering e "união de vizinho" para melhor ajustar as equações numéricas que caracterizam traços mensuráveis ​​de uma série de organismos. É o resultado de uma medida de "distância" evolutiva entre as espécies. O uso deste método tornou-se raro nos tempos modernos, tendo sido em grande parte substituída pela análises cladísticas, pois a taxonomia numérica é sensível a serem enganados por traços de Plesiomorfia.

História da taxonomia

Primeiros taxonomistas

Taxonomia tem sido chamado de "profissão mais antiga do mundo",7 pois nomear e classificar nossos arredores foi provavelmente uma das primeiras coisas que a humanidade fez para poder se comunicar. Foram importantes para saber os nomes das plantas e animais venenosas e comestíveis, para comunicar essas informações para os outros membros da família ou grupo.

No Oriente, um dos primeiros registros de farmacopeias foi escrito por Shen Nung, imperador da China (c. 3000 aC). Ele queria divulgar informações relacionadas com a agricultura e medicina, e diz-se ter provado centenas de plantas com o objetivo de aprender o seu valor medicinal. Registros são difíceis de interpretar depois de algum tempo, mas ilustrações de plantas medicinais aparecem em pinturas egípcias de c. 1500 aC. 9 As pinturas mostram claramente que essas sociedades valorizavam e comunicavam o uso de diferentes espécies e tinham uma taxonomia básica.

De Aristóteles até Plínio

Registros históricos mostram que a classificação dos organismos informalmente ocorreu nos tempos de Aristóteles (Grécia, 384-322 aC)10 , que foi o primeiro a começar a classificar todas as coisas vivas. Alguns termos que ele deu para os animais, como os invertebrados e vertebrados ainda são comumente usados. Seu aluno Teofrasto (Grécia, 370-285 aC) continuou esta tradição e escreveu uma classificação de 480 plantas chamado Historia Plantarum. Vários grupos de plantas reconhecidas atualmente ainda pode ser rastreada até Teofrasto, como Cornus, Açafrão e Narciso. O próximo grande ressurgimento de taxonomistas chegou com Plínio, o Velho (Roma, 23-79 dC). Elaborou 160 volumes do trabalho Naturalis Historia, descreveu muitas plantas e deu muitos nomes latinos com nomenclatura binomial.

Taxonomistas Pré-Linnaeus


Página de título do Systema Naturae, Leiden, 1735
Não foi 1500 anos depois que as obras taxonômicas se tornaram suficientemente ambiciosas para substituir os textos antigos. Isso é muitas vezes creditado ao desenvolvimento das sofisticadas lentes ópticas, o que permitiu o estudo da morfologia dos organismos com muito mais detalhes. Um dos primeiros autores a tirar vantagem deste salto tecnológico foi Andrea Cesalpino (Itália, 1519-1603), que é muitas vezes é referido como "o primeiro taxonomista". Sua grande obra De Plantis saiu em 1583 e descreveu mais de 1.500 espécies de plantas. Duas grandes famílias de plantas que ele primeiro reconheceu ainda estão em uso hoje: o Asteraceae e Brassicaceae. Em seguida, no século XVII, John Ray (Inglaterra, 1627-1705) escreveu muitas obras taxonômicas importantes. Indiscutivelmente a sua maior realização foi Methodus Plantarum Nova (1682), onde publicou mais de 18.000 espécies de plantas. Na época suas classificações foram, a mais complexa produzida por um taxonomista, pois ele baseou seus táxons em muitos caracteres combinados. Os próximos trabalhos taxonômicos importantes foram produzidos por Joseph Pitton de Tournefort (França, 1656-1708). Seu trabalho, a partir de 1700, Institutiones Rei Herbariae, incluiu mais de 9.000 espécies em 698 gêneros, isso influenciou diretamente Carl Linnaeus, pois era o texto que ele usou quando era um jovem estudante. 9

A era Linnaeus

O botânico sueco Carl Linnaeus (1707-1778) marcou o início de uma nova era na taxonomia. Com suas principais obras Systema Naturae (primeira edição) em 1735, 11 Species Plantarum em 1753, 12 e Systema Naturae (Edição 10) 13 , ele revolucionou a taxonomia moderna. Suas obras implementaram um sistema de nomenclatura binomial padronizado para espécies animais e vegetais, o que provou ser uma solução elegante para uma literatura taxonômica caótico e desorganizado. O sistema de Linnaeus nasceu e ainda hoje é usado essencialmente da mesma maneira que no século XVIII. Atualmente, os taxonomistas de plantas e animais considerar o trabalho de Linnaeus como o "ponto de partida" para nomes válidos (em 1753 e 1758, respectivamente). 14 Os nomes publicados antes destas datas são referidos como "pré-Linnaeus" e não são considerado válidos (com a excepção das aranhas publicados em Svenska Spindlar). Até mesmo nomes taxonômicos publicados por Carl Linnaeus antes destas datas são consideradas pré-Linnaeus. 9

Nomes válidos x nomes aceitos

Como vimos acima, existem regras claras para a publicação de novas espécies, gêneros, etc. Quando um novo nome é publicado e atende a todas as regras, é um nome válido, ou seja, validamente publicado. No entanto isto não implica que seja um nome automaticamente aceito. A não aceitação de um nome pode acontecer e é bastante frequente. Na realidade, apesar de desconhecermos uma estatística oficial, provavelmente mais da metade dos nomes válidos não são considerados aceitos, e há muitos casos em que não há consenso sobre o nome aceito. Isto ocorre por diversas razões.

Naturalmente, quando as atuais regras taxonômicas começaram a ser utilizadas, as comunicações eram bastante demoradas. Uma época muito diferente de hoje em que alguém publica uma nova espécie e em poucos minutos esta informação pode ser incluída nos grandes bancos de dados da internet. Naquela época meses ou mesmo anos se passavam antes que fosse possível saber se alguma espécie já havia sido publicada por alguém em outra parte do mundo. Deste modo muitas espécies foram descritas diversas vezes com nomes diferentes. Pelas regras, vale apenas o nome mais antigo, o primeiro a ser publicado, e os posteriores são considerados sinônimos, ou seja, desde que atendam as regras, todos os nomes são válidos, mas apenas o mais antigo é aceito.

Outro caso bastante frequente resulta de alterações na classificação de espécies pelos gêneros. Obviamente, quando o sistema de classificação foi concebido não foram descritos de imediato todos os gêneros conhecidos hoje. Por exemplo, Linnaeus descreveu apenas oito gêneros de orquídeas. Inicialmente todas as orquídeas conhecidas eram classificadas em um desses oito gêneros. Hoje há cerca de mil gêneros de orquídeas de modo que a maioria foi reclassificada em novo gênero e o nome mais antigo passou a não ser aceito mais.

Taxonomias não biológicas

Quase todos objetos animados, objetos inanimados, lugares, conceitos, eventos, propriedades e relacionamentos, podem ser classificados de acordo com algum esquema taxonômico. Taxonomias dos tipos de coisas genéricas resultam da investigações filosófica. Começando com a obra de Aristóteles, onde há varias "Categorias" de filósofos, dispostos em Categorias genéricas (também chamados de tipos ou classes) em uma hierarquia que mais ou menos satisfaz os critérios para ser uma taxonomia.

Taxonomia, ou categorização, na cognição humana tem sido uma importante área de pesquisa em psicologia. Os psicólogos sociais têm procurado modelar a maneira pela qual a mente humana categoriza estímulos sociais (A teoria da auto-categorização é um deste exemplo prototípico). 15 16 Alguns afirmam que a mente humana adulta organiza naturalmente seu conhecimento do mundo em tais sistemas. Os antropólogos têm observado que as taxonomias são inerentes em sistemas locais culturais e sociais, servindo a várias funções sociais.

Taxonomias, tais como as analisadas por Émile Durkheim e Claude Lévi-Strauss, são às vezes chamados taxonomias populares para distingui-las das taxonomias científicas. Baraminologia é uma taxonomia usada em ciência da criação, que na classificação dos táxons se assemelha as taxonomias populares. A frase "taxonomia empresa" é usado em negócios para descrever uma forma muito limitada de taxonomia usada apenas dentro de uma organização. Um exemplo seria um certo método de classificação de árvores como "Tipo A", "Tipo B" e "Tipe C" utilizado apenas por uma empresa madeireira para categorizar os embarques. Os militares e os campos de saúde e segurança também têm suas próprias taxonomias. No campo da computação moderna, a web semântica requer formais taxonomias de extensão XML (como XBRL) chamados namespaces.

Nenhum comentário:

Postar um comentário





Palavras mais buscadas no site:

Trabalhos Escolares Trabalho Escolar Biologia Português Matéria Português Rede Social Dicas de Português História Língua Portuguesa ZOOLOGIA Facebook Memes Trolls Geografia Memes Zuando muito no face Trollando Memes para facebook Escrevendo em redes sociais Dúvidas de Português Educação Física Concursos Públicos Gramática Esportes Concursos Dicas de Concursos Públicos Biografia Química O que é a língua portuguesa Física Questões para Concursos Geologia Informática Questões Enfermagem Geofísica Enem Cartaz Cartazes Manifestações TI Tecnologia Blocos Econômicos e Organizações Internacionais Arte Artes GENÉTICA Sociologia PROUNI SISU Concordância Biografias Dicas Diversos ECOLOGIA Faculdade Universidade Vestibular Matemática Simulado Atualidades Civilizações Protesto CAFTA Seu Trabalho Ortografia QUESTÕES DE Português com Gabarito Literatura Crase Computadores analógicos Curiosidades Esqui Aquático Gramática. História da computação História do hardware Redação Índio EVOLUÇÃO QUESTÕES de Matemática com Gabarito Indígena Resumo Uso da Crase - quando há (ou não) crase Geometria Analítica Livro Plural RACIOCÍNIO LÓGICO Artigos 196 a 200 da Constituição Federal Grafia Hífen Lei n° 8.142 Lei nº 8.080 Organização e Funcionamento do SUS QUESTÕES DE RACIOCÍNIO LÓGICO Com Gabarito Sistema Único de Saúde Autores Geometria Homônimos Parônimos Tecnologia da Informação Uso da vírgula Construções Geométricas Educação Resumos Vírgula Anita Garibaldi Equação da reta Questão de Concurso Reciclagem Sinônimos Verbos Vocativo Aleijadinho Aluísio Azevedo Aposto Avaliação Carta Comunidade Andina Dicionário Emprego Energia Estudar Fast Estudo Analítico do Ponto Estudo da Reta Exercícios Fernando Pessoa Formas variadas de linguagem Futebol Gauchês Ginástica História da Idade Média Idade Média Identidade Imagens para Facebook Inclinação da reta Lei Lei federal Nitrogênio Ortográfico Pedagogia Polo aquático Precisão e adequação vocabular Pronomes Psicologia Publicidade Reforma ortográfica Saúde Significados Tênis de Mesa Uso de por que Verbo Vocabulário por quê porque e porquê Ângulo de inclinação da reta 99 : Salário baixo e injustiça A Estrutura Curricular da Disciplina De Educação Física A Grande Influência da Lua em Nossas Vidas. A guerra civil gaúcha A participação do México no Nafta ACENTUAÇÃO ACENTUAÇÃO GRÁFICA ANARQUIA ASEAN Abandono Acentos Adolf Hitler Advérbios Afonso Pena AlCA x ALBA Alca Alfabeto Alfred Wegener Anatomia comparada Apec Apostila Apostila Concurso Professor Apostila PEB ll Arte Barroca Arte Rupestre Artesanato Arthur Aguiar Artigos Assíria Asteca Astrolábio Atletismo Até onde a Lua influencia a nossa vida? Automação Babilônia Badminton Balonismo Barack Obama Barão de Mauá Barão do Rio Branco Basquetebol Beisebol Benito Mussolini Benjamin Constant Bilhete Biodiversidade Biogeografia Biologia molecular Boxe Brasil - Eleições 2006 CEI – Comunidade dos Estados Independentes CLIMA Cabo de Guerra Caminhada Cana-de-açúcar Capoeira Caratê Caricom Carlos Chagas Carlos Drummond de Andrade Carta Argumentativa Carta comercial Carta de Reclamação Carta de informação Carta de solicitação Carta do leitor Cartaginês Cartão-postal Carvão mineral Casal Castro Alves Celta Charles Chaplin Chico Buarque de Holanda Chinesa - Civilizações Ciclismo Circunferência Clarice Lispector Classificação dos blocos econômicos Claude Debussy Comemoração em outros Países Comparativo entre C e java Comunidade Britânica Comunidade Sul-Americana de Nações Conceito Conceitos Concretismo Consciência Convite Copa 2014 Coreia do Norte e a Coreia do Sul Corrida Crise na Tunísia Cruzadas Crítica DEFENSIVOS AGRÍCOLAS DENSIDADE DESENHO DESMATAMENTO DESTAQUES NO MUNDO DOMESTICAÇÃO Dança Data Comemorativa Data Mining Data Warehouse Decreto nº 7.508 Descrição Desflorestamento Desrespeito com o professor Dia das Mães Dia do Descobrimento do Brasil - 22 de Abril Dicionário Web Direito Administrativo Dom Pedro I Duque de Caxias E-mail ESPÉCIES EM EXTINÇÃO EXPRESSIONISMO Educação no Brasil Educação nota 10 Egípcia Eleição de Dilma Rousseff Energia Solar Enunciação e contexto Escalada Escultura Esgrima Esporte Estrangeirismo Estrangeirismos Estudar é para os fortes Estudo da Circunferência Euclides Evolução da Tecnologia da Informação Exemplos de Textos do Cotidiano Expedições medievais realizadas em nome de Deus FIES FOTOSSÍNTESE Falsos Sinônimos Falta de Vagas Fauna Fenícia Feriados Feudalismo Figuras de estilo Filogenia Filogeografia Filosofia Fisiologia Flora Fly Fishing Formação de blocos econômicos Força de Floriano Fracasso da Alca Francesa Frases em imagens Frescobol Futebol americano Futurismo Fórmula 1 G 20 Financeiro GEO1M1 GEO2M2 Geometria Euclidiana Germânica Geógrafo Geólogo Ginástica Artística Ginástica de trampolim Globalização Glossário Web Golfe Golfo Pérsico Gonçalves Dias Governo x Educação Graciliano Ramos Grafite Grega Grego Grigori Perelman Guerra Guerra Civil Americana Guerra de Secessão Guia Prático Gêneros textuais argumentativos Gêneros textuais do cotidiano Gêneros textuais do universo jornalístico HISTiatÓRIA DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA DA ARTE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃ Heitor Villa-Lobos Hidroginástica História do Futebol História em quadrinhos Homero Homo sapiens Homônimas e Parônimas Hóquei IMPRESSIONISMO Idade Antiga Idade Contemporânea Idade Moderna Importância da mulher na sociedade Inca Indiana Indigena Individualismo Industrialização da China Industrialização e Urbanização Indígena no Brasil Indígenas Inglesa Inglês Ingresso Tardio Inscrições Integração da Venezuela ao Mercosul James Watt Japonesa Jet Ski Jiu Jitsu Jogo de Queimada Jogos Olímpicos Pequim 2008 John Fitzgerald Kennedy José de Alencar Judô Karl Marx Kung-Fu Lima Barreto Linguagem e comunicação Localização do Golfo Pérsico Luiz Gonzaga MEIO AMBIENTE MIGRAÇÕES ANIMAIS MMA Mixed Martial Arts Madeira Mahatma Gandhi Maia Mamíferos Manguezal Medicina Memórias de Computadores Mercosul Mercosul: Países Integrantes Mercúrio (planeta) Mergulho Mesóclise Minas Gerais Missão Científica Espacial Brasileira Mix Útil Modelos de Processadores Modismos Monarquia Monteiro Lobato Moralismo Morfologia Mundo Summary Musculação Médicos Nado Sincronizado Natação Neologismo Neologismos O milênio da mulher O que é Educação Física? OEA OLAP OMC ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO SUS - LEI 8080/90 E 8142/90 ORIGAMI Op-art Opep Opinião Os livros são um oceano infinito de conhecimento PEB ll POLUIÇÃO Paleontologia Parkour Pedro Bandeira Pedro Álvares Cabral Pensamentos Persa Perímetros Pesquisa Pessoa Piaget Pintura Placa tectônica Planejamento e Gerência de Projeto de Software Planície Pleonasmo Pontuação Pop Art Portugal Povos indígenas Presidentes da República do Brasil Primavera Árabe Princesa Isabel Professor Professor trollando aluno que não estuda Pronomes átonos Prosa Naturalista Prova Pré-História Próclise QUALIDADE DE VIDA QUESTÕES DE Português Acentuação Com Gabarito QUESTÕES DE Português Crase com Gabarito Questão do Mensalão Questões de Português Ortografia com Gabarito R$9 RENASCIMENTO RESPONSABILIDADE SOCIAL ROCOCÓ Racismo Ranking Mundial de Educação Rapa-Nui Rebelião Popular Rede municipal de saúde Redundância Relacionamento Remo Repetência Reservas indígenas no Brasil Respeite o Professor Respostas Resumo de Livro Revolta da Armada Revolta da Vacina Revolta na Líbia Revolta no Egito Revolução Federalista Revolução Francesa Robô Romana Romero Britto Russa SADC Saltos Ornamentais Semânticas Seriados Sintaxe Sismo Sistema Operacional Sistemática Skate Squash Subjuntivo Suméria Surfe Tabelas Cruzadas e DrillDown Taekwondo Teatro Terremoto Texto instrucional (injuntivo) The Vampire Diaries Tigres Asiáticos Tipos de Frase Triathlon Turca Turfe Tênis Unasul União Europeia União Européia Urbanização da China Urânio Uso do Hífen (Novo Acordo Ortográfico) Verbo Auxiliar Verbos Abundantes Verbos Anômalos Verbos Defectivos Verbos Regulares e Irregulares Verbos Transitivos Verbos de Ligação Verdades e mentiras sobre o conflito das Coreias Vida de professo Viking Voleibol Voleibol de Praia Volumes Water Bike Xadrez Xenofobia Xilogravura Zuando na escola 2013 dúvida léxico regionalismo saúde no Brasil tempo verbal toma dicionário na cara variante linguística Árabe - Civilizações Áreas Ângulos Ênclise